• Amargosa: Dois homens andam 600 km para pagar promessa em Bom Jesus da Lapa

    Repórter: AmargosaNews.com
    Publicado: segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017
    A- A+


    A demonstração de fé e a gratidão pelo que considera “graça alcançada”, levou um agricultor de Amargosa, no Vale do Jequiriçá, a um ato que pouca gente na idade dele se aventura a fazer: praticamente fazer uma travessia no estado, em direção ao Oeste, em uma distância de 600 quilômetros até a cidade de Bom Jesus da Lapa, com o objetivo único de pagar uma promessa. E ele não estava só nessa aventura, que durou 15 dias.


    Em vez de se entregar ao problema, Celestino procurou outros médicos e começou a fazer um tratamento, mas, paralelo a esse acompanhamento pelos profissionais que o submeteram a vários exames, ele tomou outra decisão: prometeu, durante uma oração, que se o problema do coração fosse resolvido sem cirurgia, ele iria caminhando até a cidade de Bom Jesus da Lapa.Tudo começou quando Celestino do Amor Divino, 65 anos, um produtor de cacau na cidade de Ubaíra, no centro Sul da Bahia, recebeu de um médico o diagnóstico inesperado de que estava com um grave problema no coração e a cura só deveria ser alcançada com uma cirurgia delicada.


    E logo que os médicos chegaram com o segundo diagnóstico, indicando que o problema no coração regrediu, ele não teve dúvidas: tinha que cumprir a promessa, sem demora. Afinal, ele sempre confiou no coração e “palavra dada a homem tem que ser cumprida, imagine a Deus, né?”, disse o agricultor tarde deste domingo (19).


    Parceria combinada, faltava a Celestino vencer uma forte barreira: a família, que resistia em concordar com a aventura. Casado, pai de oito filhos que lhe deram 2 netos “até agora”, o agricultor diz que teve de conversar muito para ser autorizado a viajar. “Depois resolveu tudo com minha mulher, filhos, genros e noras e me liberaram”, brinca Celestino.Ao decidir que a promessa teria que ser cumprida sem muita demora, entrou na história José Ivan da Silva Andrade, 60 anos, também fazendeiro e comerciante na cidade de Amargosa. Velho amigo de Celestino, ele se propôs a fazer a caminhada para o lugar onde já conhecida, também viajando de forma pouco comum. “No ano passado em viajei montado a cavalo e cheguei aqui em 15 dias, mas por um caminho diferente e bem mais longo. Foram quase 800 quilômetros de Amargosa até chegar na Lapa”, conta José Ivan, que antes dessa aventura de 2016, já tinha ido de carro com o pai, ainda jovem.


    A viagem começou às 2h30 da madrugada de um domingo, 5 de fevereiro, mas os dois foram precavidos e resolveram ter o apoio de um carro com motorista, onde foi colocada uma estrutura mínima para garantir uma viagem sem problemas e sem surpresas. Água, comida, roupa, material de higiene e até um fogão à gás foram colocados sobre a carroceria de uma pequena caminhonete, que em determinados trechos da viagem parava para que eles se alimentassem, bebessem água e pudessem seguir em frente.


    “Não entramos no carro nem um minuto”, diz José Ivan. “O tempo todo a gente caminhou e só parava pra dormir nos postos. A comida a gente fazia na beira da estrada mesmo”, relata.


    No cardápio, comida pra alimentar bem e manter a energia da dupla. Feijão, farinha, arroz, carne seca, banana, pão, aipim, essas coisas boas que a gente tá acostumado”, revela Ivan, que ficou empolgado com a ideia de seguir o amigo até a Lapa, pois tinha o desejo de voltar ao local de uma forma diferente, como já fizera indo a cavalo.


    Os dois dizem que “adiantaram” bem a viagem que não teve nenhuma surpresa entre Amargosa e Bom Jesus da Lapa. Perguntado sobre o clima que enfrentaram no trajeto, eles disseram que na maior parte do tempo fez sol forte e muito calor, mas “nada que impedisse de seguir adiante”.


    O tempo inteiro usaram tênis e roupas leves para ajudar. “Os tênis que a gente usou aguentaram bem a viagem e nem estragaram muito”, disse Celestino, que ainda não sabe quantos quilos conseguiu perder na viagem, mas tem uma certeza: “minhas pernas tão bem fortes”, brincou.


    Neste domingo, por volta das 10 horas da manhã, a dupla chegou a Bom Jesus da Lapa e foi recebida por uma família de amigos que sabia da promessa que seria paga por Celestino. Eles foram recebidos com festa na entrada da cidade e nem ali aceitaram carona.


    Celestino e José Ivan fizeram questão de ir direto à gruta onde está o Santuário de Bom Jesus da Lapa, onde a promessa foi, finalmente, cumprida com muitas orações. “Graças ao Bom Jesus, o meu coração está forte e deu prova disso nessa viagem. Estou muito feliz”, disse Celestino em conversa com a equipe do site Agora Na Bahia, por telefone, minutos depois de ter almoçado em um restaurante da cidade.


    Quando perguntado se era hora do repouso, ele fez questão de dizer que sim, mas com uma ressalva: “Só um pouco agora à tarde, pois às sete da noite tem missa e é nela que vou terminar as minhas orações de agradecimento pela minha saúde”, disse, com muita fé, Celestino, que na terça-feira(21), volta pra casa, de carro. (Agora na Bahia)
  • Comentários