terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A guarda municipal de Salvador levou um belo “puxão de orelha” do Ministério Público da Bahia. A reunião com representantes da guarda (Inspetor-Matheus Pereira e diretor geral-João Gomes), o secretário de ordem Pública(Maurício Rosa) e os promotores Isabel Adelaide, Valmiro Macêdo e Rita Tourinho, aconteceu nesta segunda (20). “Restou discutida a inconformidade legal da atuação da Guarda Municipal do Município do Salvador em realizar policiamento ostensivo, ou abordagens aleatórias de pessoas, o que não se confunde com a intervenção na hipótese de conflito ou briga que implique em risco à população e aos próprio integrantes da Guarda”, diz o documento de termo de ajustamento de conduta (TAC).
Os promotores alertaram aos dirigentes da guarda de Salvador que orientem rapidamente os comandados sobre como se comportar nas ruas, e ainda alertando que a guarda é força auxiliar. A reunião coloca um fim em blitze que a GM estava fazendo na cidade e abordagens, que culminou em confusão com um tenente-coronel da Polícia Militar 10 dias atrás. Todos os envolvidos assinaram o documento. O MP deve ficar atento as “ações” dos Guardas Municipais de Salvador, pois se for descumprido o TAC, os gestores poderão responder civil e criminalmente, além dos GM’s envolvidos em mais confusões. (Blog do Valente)

Comentários da Notícia: