quarta-feira, 8 de março de 2017


Citado entre as gestões estaduais que podem aderir ao programa federal de concessões na área de saneamento, dentre os 14 projetos previstos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o governo baiano descartou novamente na terça-feira (7), qualquer intenção de privatização da Embasa. Pela proposta do BNDES, a Embasa poderia ser leiloada a partir do segundo semestre de 2018. “O Governo da Bahia não possui qualquer interesse em privatizar ou abrir o capital da Embasa”, afirma, em nota, a Casa Civil da Bahia. O governo estadual admitiu, entretanto, o interesse, no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), em obter financiamentos junto ao BNDES, “para implantação de projetos na área de saneamento”, como frisa a nota. O texto ainda destaca que a manifestação de interesse deixa claro que o Estado não possui, atualmente, qualquer intenção na desestatização da Embasa”. As privatizações na área de saneamento foram propostas pelo governo Temer, “como forma de socorrer financeiramente os estados”, a exemplo da já aprovada venda da companhia do Rio de Janeiro (Cedae), um dos estados que mais enfrentam dificuldades orçamentárias. O tema vem sendo acompanhado pelo sindicato dos trabalhadores da Embasa (Sindae) que condena o que classifica como “entrega do patrimônio nacional”. (A Tarde)

Comentários da Notícia: