quinta-feira, 30 de março de 2017


O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deverá ficar em torno de 3,9% e 4% neste ano. Já o produto Interno Bruto (PIB) pode ter crescimento menor em 2017 do que o previsto no final do ano passado. As projeções foram divulgadas nesta quinta-feira (30) pelo Banco Central no relatório de inflação do primeiro trimestre. Em dezembro do ano passado, a previsão para o índice inflacionário era de variação entre 4,4% e 4,7% neste ano. Para 2017 e 2018, a meta central é de 4,5% e teto de 6%, abaixo do estimado. "A inflação continua a apresentar dinâmica favorável, com menor persistência no processo inflacionário. Aprofundou-se o processo de difusão na desinflação e houve consolidação da desinflação nos componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária [redução da taxa básica de juros pelo BC]", informou a instituição, de acordo com o G1. No que tange o nível de atividade da economia, a projeção do BC é que o PIB cresça 0,50% neste ano. Em dezembro passado, a estimativa era de +0,8%. Na última semana, o mercado financeiro havia previsto alta de 0,47%. "A economia permanece operando com elevado nível de ociosidade dos fatores de produção, refletido nos baixos índices de utilização da capacidade da indústria e, principalmente, na taxa de desemprego", observou o BC. Os dados observados indicam que o processo de corte dos juros básicos da econômica, hoje em 12,25%, pode ser acelerado. O Comitê de Política Monetária (Copom) do BC já efetuou quatro reduções seguidas na taxa Selic, sendo as últimas de 0,75%. Para o fim de 2017 e de 2018, a projeção é que a taxa básica de juros recue para 9% e 8,75% ao ano, respectivamente. (BN)

Comentários da Notícia: