sexta-feira, 7 de abril de 2017




Na noite da última quinta-feira (6), os Estados Unidos lançaram 59 mísseis Tomahawk contra uma base aérea na Síria. De acordo com o presidente Donald Trump, ação aconteceu em resposta ao ataque químico que matou mais de 80 pessoas esta semana. Exército sírio afirmou que seis pessoas morreram. Já o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) disse que foram quatro vítimas.

Os mísseis atingiram a base de Al Shayrat, perto de Homs, por volta das 21h40 (hora de Brasília), 4h40 na hora local da Síria. O porta-voz do Pentágono, Jeff Davis, declarou que os mísseis foram lançados contra “aeronaves, abrigos de aviões, áreas de armazenamento de combustível, logística e munição, sistema de defesa aérea e radares”. Esta foi a primeira ação direta dos EUA contra o o presidente sírio, Bashar Al-Assad. Até então, o país vinha atacando o Estado Islâmico.

Após o ataque, Donald Trump defendeu a ação e afirmou que "é de vital interesse da segurança nacional dos Estados Unidos prevenir e deter o uso de armas químicas mortais". "Pedi a todas as nações civilizadas que se unissem a nós, buscando acabar com o massacre e o derramamento de sangue na Síria", afirmou o republicano.

Nesta sexta-feira (7), o presidente russo, Vladimir Putin, , por meio do porta-voz do governo, Dmitri Peskov Kremlin, disse que o bombardeio dos EUA representa uma "agressão contra um Estado soberano", baseado em "pretextos invetandos". Ainda de acordo com ele, a atitude de Trump causa um dano às relações entre EUA e Rússia.

Leia na íntegra o discurso de Trump após o ataque:

"Meus colegas americanos,

Na terça-feira, o ditador sírio Bashar al-Assad lançou um terrível ataque de armas químicas contra civis inocentes. Usando um agente nervoso mortal, Assad sufocou a vida de homens, mulheres e crianças desamparadas. Foi uma morte lenta e brutal para tantos. Mesmo lindos bebês foram cruelmente assassinados neste ataque tão bárbaro.

Nenhum filho de Deus deve jamais sofrer tal horror. Hoje à noite, eu ordenei um ataque militar direcionado a uma base aérea na Síria, de onde o ataque químico foi lançado. É de vital interesse da segurança nacional dos Estados Unidos prevenir e dissuadir a propagação e o uso de armas químicas mortais. É indiscutível que a Síria usou armas químicas proibidas, violou suas obrigações sob a convenção de armas químicas e ignorou a insistência do Conselho de Segurança da ONU.

Anos de tentativas anteriores de mudar o comportamento de Assad falharam, e falharam muito dramaticamente. Como resultado, a crise de refugiados continua a se aprofundar e a região continua a se desestabilizar, ameaçando os Estados Unidos e seus aliados. Hoje à noite, pedi a todas as nações civilizadas que se unissem a nós, buscando acabar com o massacre e o derramamento de sangue na Síria, e também para acabar com o terrorismo de todos os tipos e de todos os modos.

Pedimos a sabedoria de Deus ao enfrentar o desafio de nosso mundo tão perturbado. Rezamos pela vida dos feridos e pelas almas daqueles que morreram e esperamos que, enquanto a América defender a Justiça, a paz e a harmonia prevalecerão. Boa noite e Deus abençoe a América e o mundo inteiro."

Comentários da Notícia: