quinta-feira, 13 de abril de 2017


Em sua primeira partida fora de casa, desde que voltou a jogar futebol pelo Boa EC, do Módulo 2, que equivale à Segunda Divisão mineira, o goleiro Bruno foi bastante hostilizado em jogo na noite de quarta (12), contra o Patrocinense (0 a 0), na cidade de Patrocínio. Pouco mais de 1800 pessoas pagaram ingresso para ver o jogo. Em várias situações, ele teve de ouvir gritos com ofensas e referências à sua condenação pelo assassinato em 2010 da modelo Eliza Samúdio, com quem manteve relações íntimas.

 A diretoria do Patrocinense chegou a fazer campanha pelas redes sociais pedindo que a torcida não atirasse objetos em campo durante o jogo – o temor era que a contrariedade com a presença de Bruno exacerbasse os ânimos. Em 2013, o ex-goleiro do Flamengo foi condenado a 17 anos e 6 meses em regime fechado por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima) e a outros 3 anos e 3 meses por sequestro e cárcere privado e mais 1 ano e 6 meses por ocultação do cadáver. No sábado (8), Bruno estreou pelo clube em outro empate, com o Uberaba (1 a 1), mas a reação da torcida foi bem melhor, uma vez que atou em Varginha, em casa. Na oportunidade, chegou a ser ovacionado pelo público. (Terra)

Comentários da Notícia: