sexta-feira, 7 de abril de 2017


O Orlando Pride anunciou nesta sexta-feira (7) a contratação da brasileira Marta como novo reforço para a disputa da próxima National Women's Soccer League (NWSL, o campeonato norte-americano de futebol). A jogadora assinou contrato por duas temporadas com a equipe, com possibilidade de prorrogação automática por um terceiro ano. "Estamos incrivelmente orgulhosos por trazer a Marta para o Orlando, e eu estou pessoalmente muito animado, já que sou um fã dela há muitos anos. Nossa equipe técnica trabalhou duro para trazer a melhor e mais talentosa jogadora de futebol do mundo para o nosso elenco", disse o CEO do Orlando Pride, o brasileiro Alex Leitão. Esta será somente a segunda temporada da NWSL que disputará o Pride, que tem os mesmos donos do Orlando City, time de futebol masculino também criado recentemente na cidade. "Nós criamos o Pride para vencer. E trazer a Marta para Orlando é o atestado de nossa crença neste time, nos nossos torcedores e na paixão pelo futebol na Flórida", comentou Leitão.

Até pela relação tão próxima entre o Pride e o City, a chegada de Marta ao clube foi imediatamente celebrada pela principal estrela do time masculino, o também brasileiro Kaká. "Bem-vinda à família do Orlando City", escreveu o jogador em sua página Twitter, em postagem com uma foto em que aparece ao lado da atleta. Marta vestia a camisa do Rosengard, da Suécia, até a eliminação para o Barcelona na atual edição da Liga dos Campeões, no fim do mês passado. Já sem contrato com o clube, ela ficou livre para negociar com o Orlando Pride. Ao longo de seus mais de 15 anos de carreira, a jogadora de 31 anos acumulou dois ouros em Jogos Pan-Americanos e duas pratas em Olimpíadas, além de ter sido eleita a melhor do mundo pela Fifa em cinco oportunidades consecutivas, de 2006 a 2010. Além de Marta, o Pride trouxe recentemente para seu elenco outras atletas veteranas e de sucesso, como Ali Krieger, Ashlyn Harris e Alex Morgan. "O currículo da Marta fala por si. Ela não é apenas a melhor jogadora do mundo, mas também encaixa com nossas maiores necessidades no campo. Nosso objetivo na pré-temporada era avaliar nosso desempenho do primeiro ano e dar ao Pride as ferramentas para ter sucesso em 2017", disse o diretor da equipe, Niki Budalic. Com informações do Estadão Conteúdo.

Comentários da Notícia: