terça-feira, 18 de abril de 2017



Investigações internas da ONU revelam que tropas brasileiras foram acusados de estupro enquanto serviram no Haiti, chegando a oferecer alimentos em troca de sexo. Dados foram revelados na semana passada pela agência AP, segundo a qual forças de paz das Nações Unidas pelo mundo enfrentam denúncias de mais de 2 mil casos, muitas vezes de menores e daqueles que deveriam proteger.

A revelação sobre o Haiti ocorre justamente no momento em que a ONU deve aprovar a última renovação do mandato das tropas internacionais no país, por apenas mais seis meses.

Nesta segunda-feira (17), em resposta às revelações, a ONU indicou que está fazendo "progresso" para convencer governos que fornecem tropas sobre a necessidade de levar os autores dos crimes à Justiça. A entidade admite a existência de problemas. "Mas acreditamos que estamos avançando na direção corresta, em especial com o novo projeto do secretário-geral, Antonio Guterres", indicou.

O projeto do novo secretário-geral prevê uma atenção especial às vítimas, com serviços de proteção. Mas a ONU insiste que não cabe a ela punir os soldados, coisa que apenas os governos podem fazer. A ONU também prevê maior igualdade de gênero nos cargos da entidade e a publicação de evidências, sempre que não colocar em risco as testemunhas.

De acordo com a reportagem da AP, Janila Jean foi uma das vítimas dos soldados brasileiros. Ela conta que há 3 anos, quando tinha 16 anos, era virgem e foi levada para as residências das tropas brasileiras em troca de alimentos. Mas acabou sendo estuprada com uma arma apontada para sua cabeça. Janila engravidou e contou à agência que chega a imaginar "estrangular sua filha". Outras três mulheres também foram estupradas naquele dia. Temendo represália, nenhuma delas apresentou na época a denúncia. Fonte: http://www.bocaonews.com.br/noticias/principal/mundo/172670,soldados-brasileiros-sao-acusados-de-estupro-no-haiti.html

Comentários da Notícia: