terça-feira, 16 de maio de 2017



Estudantes de 168 escolas de Salvador e do interior da Bahia terão agora acesso a capacitação para se tornarem jovens empreendedores. Noções sobre fluxo de caixa, marketing, viabilidade econômica de projetos ou plano de negócios passarão a integrar a grade curricular dos colégios públicos estaduais. É o que prevê o projeto Educação Empreendedora lançado na manhã desta terça-feira, 16, pelo governo do estado.

O projeto tomou corpo depois que o governador Rui Costa conheceu, no ano passado, iniciativa semelhante em Minas Gerais, onde professores de algumas escolas são capacitados pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e atuam como agentes multiplicadores. "O governador então nos procurou para que construíssemos algo do gênero dentro da realidade baiana", disse o superintendente do Sebrae na Bahia, Adhvan Furtado.

"Ficamos empolgados porque o que se pretende é dar uma projeção maior a iniciativa aqui na Bahia", completou. Seis meses depois a parceria com o Sebrae, a medida foi lançada.

Além de Minas, Rio Grande do Norte e São Paulo também trilham no mesmo caminho. "Na Bahia, a diferença é que vamos também estender a capacitação para os pequenos empreendedores dos bairros onde as escolas estão localizadas, a exemplo do dono da oficina, do eletricista e do pipoqueiro, com noções de especialistas do Sebrae", explicou o secretário de educação, Walter Pinheiro.

O plano da Secretaria de Educação é capacitar 40 mil alunos da educação básica até 2018, além de 10 mil da educação profissionalizante. A participação de microempreendedores do bairro ocorrerá em uma segunda etapa. Como em Minas, o pontapé inicial será o treinamento dos professores.

"Normalmente, o caminho normal, após a escola, é buscar o primeiro emprego, mas há também muitos que buscam sucesso como empreendedores, abrindo seu próprio negócio, ajudando a movimentar a economia e gerando também empregos", frisou o superintendente do Sebrae. De acordo com dados da instituição, existem atualmente cerca de 400 mil empreendedores individuais na Bahia.

"É um projeto para pessoas que, mais do que tudo, têm a educação como instrumento de transformação das suas vidas", declarou o governador Rui Costa. "Não quer dizer que todos vão abrir um negócio, mas estarão aptos com capacidade de inovar e empreender, como muitos jovens já estão revelando dons sobretudo na área tecnológica, desenvolvendo o interesse na criação de softwares e aplicativos", afirmou ele, ressaltando o engajamento dos professores para o sucesso econômico e social da iniciativa. (A Tarde)

Comentários da Notícia: