quarta-feira, 17 de maio de 2017




Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, gravaram o presidente da República, Michel Temer, autorizando a compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha e do operador Lúcio Funaro, ambos na prisão. O esquema consistiria no pagamento de uma mesada, por parte de Joesley e Wesley Batista, representantes do grupo, aos dois presos — e, conforme o áudio gravado pelos empresários, teve o aval de Temer.

A informação foi divulgada pelo jornal O Globo, nesta quarta-feira (17). "Tem que manter isso, viu?", disse Temer, ao ouvir dos empresários que uma mesada estava sendo paga a Cunha para que ele ficasse calado.

Outro que aparece pedindo R$ 2 milhões ao empresário nas gravações é o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Segundo o O Globo, os valores foram entregues a um primo do presidente do PSDB, em filmagem captada por agentes da Polícia Federal. Os valores foram depositados numa empresa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG).

Comentários da Notícia: