terça-feira, 16 de maio de 2017


O governador Rui Costa (PT) pretende endurecer a fiscalização do uso de atestados médicos por servidores estaduais. O petista explicou nesta terça-feira, 16, que a mudança faz parte de um projeto enviado para a Assembleia Legislativa solicitando a redução da quantidade de dias que os trabalhadores públicos podem ficar afastados sem precisar passar por perícia. O prazo passaria de 15 para 10 dias. A partir disso, os servidores teriam que se submeter a Junta Médica do Estado. O projeto também prevê a ampliação de peritos para atender a demanda. A iniciativa foi anunciada durante o lançamento do projeto Educação Empreendedora. Falando para uma plateia de estudantes e professores, Rui Costa argumentou que o afastamento afeta muitas escolas da rede pública estadual, que estão sem docentes em sala da aula. O governador ainda sugeriu que há uso indevido de atestados, que podem servir de mecanismo de pressão. "Eu nunca deixei de prestar qualidade do meu serviço para penalizar o patrão. Pelo contrário, eu usava a qualidade como argumento para pedir melhorias nas condições de trabalho e salário", disse Rui, que já foi sindicalista. O petista também incentivou que os diretores e pais de alunos continuem cobrando medidas efetivas da Secretaria de Educação para resolver a falta de professores nas instituições, mas ressaltou que o endurecimento na fiscalização do uso de atestado seria a primeira ação para solucionar o problema. (A Tarde)

Comentários da Notícia: