sexta-feira, 12 de maio de 2017



A lei que permite a criação do documento de identidade único no país foi sancionada, nesta quinta-feira (11), pelo presidente Michel Temer (PMDB). A Identificação Civil Nacional (ICN) vai juntar dados civis e biométricos da população e ficará sob responsabilidade do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Registro Geral (RG), o Título de Eleitor e o Cadastro de Pessoa Física (CPF) serão unificados. Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o Passaporte ficam de fora - por precisar ser retido em caso de infração e por exigência em outros países, respectivamente. As informações serão associadas a foto e ao registro biométrico que será concluído no país até 2022. (Metro1)

Comentários da Notícia: