terça-feira, 2 de maio de 2017




Uma nova denúncia contra o ex-ministro José Dirceu foi oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF) nesta terça-feira (2). Segundo o MPF, Dirceu teria recebido propina das empreiteiras Engevix e UTC, entre 2011 e 2014. O irmão de Dirceu, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores João Vaccari Neto; além de Gerson de Melo Almada e Walmir Pinheiro Santana, ex-executivos da Engevix e da UTC também são acusados.

O ex-ministro está preso desde agosto de 2015 no Complexo Médico-Penal em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, a pedido do juiz federal Sergio Moro.

Na denúncia está a prática de 33 crimes de lavagem de dinheiro para dissimular a origem de mais de R$ 2,4 milhões. Segundo a força-tarefa da Operação Lava Jato no MPF, o valor corresponde a propinas que foram pagas ao ex-ministro decorrente dos crimes de fraude a licitação, cartel e corrupção em benefício das empreiteiras, que assinaram contratos milionários com a Petrobras.

A nova acusação acontece no mesmo dia em que o Supremo Tribunal Federal marcou a retomada do julgamento do pedido de liberdade de José Dirceu. (Metro1)

Comentários da Notícia: