segunda-feira, 26 de junho de 2017




Entre os meses de janeiro a abril deste ano, o Brasil registrou 617.257 tentativas de fraude de identidade, ou um caso a cada 16,9 segundos. Os dados são do Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude. No mesmo período do ano passado haviam ocorrido 587.518 tentativas, ou seja, em 2017 foi registrado aumento de 5,1%.


A Fraude de identidade ocorre quando dados pessoais são usados por terceiros para fazer negócios sob falsidade ideológica ou obter crédito sem a intenção de honrar os pagamentos. De acordo com estudos da Serasa, basta perder um documento pessoal para dobrar a probabilidade do consumidor ser vítima de um golpe.


O órgão recomenda às pessoas que perderam documentos fazerem Boletim de Ocorrência em uma delegacia e cadastrar um alerta gratuito pelo portal da entidade.


O segmento de telefonia foi o mais afetado no acumulado do ano, sendo responsável por 38,7% do total de tentativas de fraude. Segundo a pesquisa, os dados são utilizados, por exemplo, para abertura de contas de celulares ou compra de aparelhos. As fraudes no setor de telefonia são ainda portas de entrada para outros golpes. Os criminosos costumam comprar telefones para ganharem comprovantes de residência e abrir contas em bancos, pegar talões de cheque, pedir cartões de crédito e fazer empréstimos.


O setor de serviços ocupa a segunda colocação no ranking, com 29,3% do total de tentativas de fraude. O terceiro segmento mais afetado é o de Bancos e financeiras, com 24,3%. O varejo manteve o quarto lugar do ranking elaborado pela Serasa. (Correio)

Comentários da Notícia: