terça-feira, 20 de junho de 2017





Um projeto de lei, que obriga profissionais de saúde a registar violência contra mulher em prontuário médico, foi aprovada pela Câmara dos Deputados nesta terça-feira (20).

Médicos deverão inserir no prontuário de atendimento, sob pena de sanção administrativa, indícios de agressões a mulher. O texto ainda determina que os prontuários com registros desse tipo de violência deverão ser encaminhados para a Secretaria de Segurança Pública do estado. O texto do projeto segue para análise do Senado.

A deputada Renata Abreu (PTN-SP), idealizdora do projeto, em justificativa, argumentou que é comum que as mulheres agredidas, por medo, não registrem boletins de ocorrência na delegacia, mas procurem hospitais para tratar as lesões.“O preenchimento dessa lacuna poderá ser uma boa arma nesse enfrentamento, pois, muitas vezes o médico identifica a violência praticada, porém, não tem opções para fornecer ajuda à vítima”, argumentou a deputada. (Metro1)

Comentários da Notícia: