domingo, 11 de junho de 2017




Às vésperas da divulgação da delação premiada que atingiu o presidente Michel Temer, os acionistas controladores da JBS venderam R$ 10 milhões em ações da companhia.

No dia 16 de maio, eles negociaram 985 mil papéis da empresa a R$ 10,11. Os controladores da JBS são a FB Participações, holding da família Batista, e o Banco Original, que também pertence aos fundadores do maior produtor de proteína animal.

A delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista foi revelada pelo jornal “O Globo” no fim da tarde do dia seguinte, após o fechamento da Bolsa de São Paulo. No dia 18 de maio, as ações da empresa desabaram 10,5% -desde então, elas perderam 23,4% do seu valor, cotadas a R$ 7,28.

As vendas dos papéis também aconteceram no dia 17, mas foram acompanhadas de recompras das ações. As operações praticamente se anularam: as vendas somaram R$ 35,1 milhões, e as compras, R$ 35,6 milhões.

Os donos da empresa voltaram a se desfazer dos ativos após a revelação da delação, nos últimos três dias do mês passado. Elas somaram R$ 105 milhões.

As negociações de papéis pelos donos da JBS, assim como operações no mercado de câmbio às vésperas da delação dos irmãos Batista, estão sendo investigadas pela Polícia Federal e pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Comentários da Notícia: