terça-feira, 13 de junho de 2017




O ex-presidente Lula (PT) lidera a disputa pela Presidência da República nas eleições de 2018, com 42,7% das intenções de voto na Bahia. Em 2º lugar está o atual deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), com 13,4%. O levantamento foi feito pelo Instituto Paraná Pesquisas e divulgado ontem. O ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) tem 8,4% das menções, em 3º lugar. Está empatado, dentro da margem de erro, com Marina Silva (Rede), com 8,0%. Responderam que não votariam em nenhum candidato 11,5% dos entrevistados.

Outros 3,9% não sabem ou não souberam responder. O levantamento também aponta que 77,5% dos entrevistados avaliam a administração de Michel Temer como ruim ou péssima. Só 8,2% acham a gestão boa ou ótima. A pesquisa foi realizada com 1.510 eleitores com 16 anos ou mais em 70 municípios baianos. Os dados foram coletados de 31 de maio a 4 de junho de 2017. A margem de erro do levantamento é de 2,5 pontos.

O resultado foi celebrado entre petistas e aliados. O presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, pediu cautela com os números. “Independente de pesquisa, a gente tem ouvido e visto isso [a popularidade de Lula] entre o povo baiano desde 1989. Vimos essa identidade nas eleições que ganhamos e perdemos. Vejo isso com naturalidade, ainda mais em um momento desse de crise política em que parte da população que depende de política pública tem manifestado essa simpatia”, disse à Tribuna.

A deputada federal Alice Portugal (PCdoB) classificou o resultado como “interessante”. “Nós estamos muitos distante do pleito de 2018, mas isso anima. Mostra que o povo brasileiro está antenado nos acontecimentos e no ataque aos seus direitos. Um ataque sem precedentes aos direitos populares”, analisa. “Fico muito satisfeita, porque acho que o Lula é ainda a referência nuclear nos direitos sociais”, acredita a parlamentar. Já o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) aproveitou a divulgação da pesquisa para alfinetar os adversários políticos, que na semana passada desqualificaram o Instituto Paraná. “Olha, eu acredito que pesquisa é isso mesmo. Nesse momento o ex-presidente tem um número alto. E agora é o momento de os aliados do governador que a pesquisa tem validade. Se tem validade para Lula, tem validade para Neto”, afirmou o democrata. “Se ele tem condição ou não de se candidatar ano que vem, acho que é uma questão da Justiça”.

Políticos minimizam popularidade de Jair Bolsonaro

Os políticos baianos viram com preocupação o aparecimento de Jair Bolsonaro com índice expressivo no levantamento. “É natural que em momentos de crise na polícia as pessoas corram para os extremos. No momento, por exemplo, não tenho candidato e nem o meu partido. Podem aparecer nomes novos. Acho que o Bolsonaro tem boas ideias, mas muitas delas eu não concordo”, afirmou Aleluia.
Alice acredita que a polarização política ajuda a dar popularidade ao deputado conservador.

“É claro que no momento em que vivemos em um golpe parlamentar o ódio foi cultivado nas ruas e nas redes sociais. É óbvio que a extema-direita iria aparecer com a sua cara, que revela os ideológicos e os incautos, que são levados por um desagrado ou outro a apoiar até por piada um elemento dessa periculosidade política para o Brasil”, critica. Everaldo Anunciação disse que os 13,4% de intenções de votos do ex-militar é um “número que preocupa”: “Há uma onda no mundo hoje em que parte da população se manifesta, mas não acredito que isso evolua a ponto de ter uma posição majoritária da sociedade”, disse.

Comentários da Notícia: