sexta-feira, 7 de julho de 2017



Os estudantes residentes que ocupam o Centro de Formação de Professores, resolveram, após acordo em reunião realizada nesta quarta-feira(05), desocupar o pavilhão de aulas do Campus de Amargosa. O prédio administrativo continua ocupado.

Confira abaixo a Nota divulgada pelo movimento dos estudantes:

INFORME:
Como encaminhamos antes, aguardávamos retorno da Reitoria e da Propaae sobre as demandas encaminhadas em nossa ultima reunião. A Propaae já nos deu o repasse quanto a disponibilização do complemento no valor de 170,00 para que possamos juntamente com nossos 330,00 do auxílio alimentação alugar casas ainda este mês.Também já se encontra disponível o caminhão baú da universidade que ajudará com as mudanças das/os moradoras/es. A Propaae do centro ficou responsável pela solicitação de material de limpeza para as casas que serão alugadas.A reitoria juntamente com a Propaae já estão verificando a demanda de botijões de gás para as casas que serão alugadas. Também estão verificando a disponibilidade do RU na liberação das cestas básicas.
Então nós do Cortiço decidimos por desocupar nesta segunda, 10/07/2017 o prédio de aulas, entendendo que nosso diálogo e acordos com os setores da universidade responsáveis por nossa demanda está sendo objetivo e resolutivo na perspectiva de nossas problemáticas. Contudo, pra quem mora de aluguel aqui em Amargosa sabe que a realidade nos contratos de aluguéis aqui é feita através de FIANÇA (assim que entramos na casa devemos dar uma quantia no valor do aluguel como segurança para a/o proprietária/o), o que nos impossibilita de sairmos da residência sem que este complemento de 170,00 caia em nossas contas, por essa questão e não desonrando o compromisso que a Propaae está tendo com este processo, mas, também entendendo que a demora do mesmo nos aprisionará na residência que está inviável para moradia por mais tempo, é que decidimos por continuar com o prédio administrativo ocupado, como meio de fiança para alugarmos nossas futuras moradias aqui em Amargosa.
Queremos agradecer imensamente o apoio de todas/os alunas/as, professoras/es, servidoras/es que nos apoiaram e se sensibilizaram com nossa luta, e principalmente as moradias universitária ADEMIR FERNANDES E MARIA DO PARAGUASSU do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) que enviaram representações, que ocuparam o seu centro e nos mostraram que moradoras/es existem e resistem juntxs e que o Movimento de Casas de Estudantes vive.
Com esse movimento infelizmente entendemos que questões sejam elas qual for em nossa universidade nos últimos tempos estão sendo resolvidas com medidas incisivas e muitas das vezes drásticas, também podemos observar a grandeza de nossa força quando existe união, cumplicidade, resistência e luta, e nós da moradia universitária o Cortiço, a partir de agora lutaremos, nos uniremos e resistiremos mais e mais por uma assistência estudantil de qualidade, e que a permanência seja garantida em todos os seus aspectos, sejam eles culturais, sociais, políticos e que nossos corpos cheio de signos, marcas, vivência, emoções, conhecimento, dores, dúvidas, sofrimentos, movimentos sejam respeitados e impulsionados a cada dia mais ressignificar a universidade pública brasileira que deve ser gratuita e nossa por direito.
Saudações de luta.
Movimento de Ocupação do Cortiço.

Comentários da Notícia: