quarta-feira, 19 de julho de 2017




A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta terça-feira (18) que vai recorrer da decisão do juiz Sérgio Moro, que negou os argumentos apresentados pelos advogados nos embargos de declaração após ter condenado o petista a nove anos e meio de prisão. Nesta etapa do processo, as apelações são encaminhadas à segunda instância, no caso o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

Por meio de nota, assinada pelo advogado Cristiano Zanin Martins, a defesa de Lula questionou trechos do despacho de Moro publicado na manhã desta terça. “Este juízo jamais afirmou, na sentença ou em lugar algum, que os valores obtidos pela Construtora OAS nos contratos com a Petrobras foram usados para pagamento da vantagem indevida para o ex-presidente”, escreveu o juiz.

No entendimento de Martins, a frase é uma prova de que Sérgio Moro "criou uma acusação própria, diferente daquela apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF)". O advogado alega que há falta de correlação entre a sentença e a acusação — o que, de acordo com ele, "revela a nulidade da decisão" de condenar Lula. (Metro1)

Comentários da Notícia: