domingo, 16 de julho de 2017





Segundo o relator da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª região, o desembargador João Pedro Gebran Neto, não há como estipular um prazo para que ocorra o julgamento do caso do tríplex no Guarujá envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista à RPC, afiliada da TV Globo em Curitiba, o desembargador disse ainda que não vai se preocupar com consequências políticas e que no depender dele, não vai retardar o processo.

O TRF-4, que tem sede em Porto Alegre, será responsável pela análise de recursos da sentença realizada pelo juiz Sérgio Moro, da primeira instância, que condenou Lula a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A defesa do ex-presidente e o Ministério Público já garantiram que vão recorrer da decisão. O recurso encaminhado irá para a 8ª Turma do tribunal, formada por Gebran Neto e outros dois desembargadores. Caberá ao trio rejeitar, aceitar ou modificar a decisão de Moro. (Metro1)

Comentários da Notícia: