quinta-feira, 13 de julho de 2017


O presidente Michel Temer sancionou a Lei da Reforma Trabalhista sem vetos. Em cerimônia, presidente afirmou que "foi árduo o percurso que os levou até esse momento". O peemedebista ainda afirmou que todos os direitos do trabalhador serão preservados "porque a lei assim determina". Temer ainda reforçou que a discussão da reforma "é uma disputa política".

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, elogiou o presidente Michel Temer durante a cerimônia para a sanção da reforma trabalhista. "A proposta do presidente Temer está, de fato, revolucionando a economia brasileira", disse. Meirelles defendeu fortemente a mudança na legislação com a lembrança de que a economia e a sociedade mudaram e as regras não conseguiram seguir essa evolução.

"A economia, a tecnologia, a política e a cultura estão mudando e evoluindo constantemente e revolucionando a maneira que estamos vivendo. A legislação tem que representar esse fato, tem que estar dentro da nova realidade", disse o ministro Meirelles. Para o ministro, a mudança e necessária para a que a sociedade possa continuar crescendo e progredindo.

Meirelles disse que a reforma trabalhista é uma das mudanças que o governo executa atualmente. "Estamos conduzindo uma série de reformas, não só de marco legal, não só de ajustes. Estamos trabalhando fortemente para fazer com que possamos ter mais produtividade, produzir mais e melhor gerando mais emprego e mais renda", disse, ao citar que há reformas "em todos os níveis" desde a desburocratização até a reforma profunda no mercado de crédito.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), fez uma forte declaração de apoio ao presidente Michel Temer. "Tenho sido testemunha de sua coragem com o Brasil. Em um ano, vossa excelência tem feito essa história para o bem", disse Jucá em discurso no evento para sanção da reforma trabalhista no Palácio do Planalto. (Informações do Estadão)

Comentários da Notícia: