Cientistas ingleses descobrem método que pode resolver casos de infertilidade em homens



Estudos desenvolvidos por cientistas do Instituto Francis Crick, na Inglaterra, podem auxiliar no tratamento da infertilidade. Segundo publicação do Jornal O Globo, o novo método é capaz remover o cromossomo extra que há nas células de alguns homens, e que inviabilizam a reprodução.

O estudo pode funcionar em casos de síndrome de Klinefelter (na qual há um cromossomo X extra) e também na síndrome do Duplo Y. Geralmente, homens e mulheres saudáveis possuem apenas dois cromossomos; XX para delas e XY, para ele. No entanto, a pesquisa diz que um em cada 500 homens nascem com um cromossomo a mais.

No processo experimental, ainda segundo o portal, os cientistas ingleses coletaram tecido conjuntivo da orelha de camundongos e retiraram células chamadas fibroblastos, que foram transformadas em células-tronco. Com isso, eles chegaram a conclusão de que algumas células acabaram perdendo o cromossomo extra. Então, eles as induziram a partir de estímulos químicos, para que se diferenciassem como células que pudessem gerar espermas. Estas células, já amadurecidas, foram implementadas nos testículos de outro camundongo e funcionaram em uma reprodução assistida.

"Nossa abordagem nos permitiu criar descendentes de camundongos estéreis XXY e XYY. Seria interessante ver se a mesma abordagem poderia ser usada como tratamento de fertilidade para homens", disse Takayuki Hirota, pesquisador do Instituto Francis Crick.