quinta-feira, 3 de agosto de 2017




Autor da gravação no Palácio do Jaburu do presidente Michel Temer usada na denúncia feita pela Procuradoria Geral da República e arquivada nesta quarta-feira (2), o empresário Joesley Batista disse a interlocutores que o "dia 2 de agosto ficará marcado como o dia da vergonha". De acordo com o jornal O Globo, Joesley assistiu à sessão na companhia de executivos na sede do grupo J&F, em São Paulo. Por meio de nota, o grupo J&F informou que não se manifestaria. O presidente é acusado por Joesley de ser o destinatário final de propina paga por ele ao então braço direito de Temer, o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). Com o acordo de delação, Joesley conseguiu o compromisso da PGR de que não será preso nem obrigado a usar tornozeleira eletrônica. Foi o mais vantajoso acordo firmado na Lava-Jato até o momento. Fonte: Notícias ao Minuto

Comentários da Notícia: