terça-feira, 15 de agosto de 2017






Uma análise realizada por pesquisadores da faculdade de biomedicina da Devry Metrocamp, de Campinas (SP), e publicada pelo portal G1, mostrou dados nada animadores para usuários de fone de ouvido. O equipamento cada vez mais usado pela população pode abrigar até 10 mil fungos e bactérias causadoras de doenças como inflamações no ouvido, coceira, surdez e até mesmo meningite.

Em 87% dos 70 fones analisados, entre o que se encaixa no ouvido e hadfones, foram encontrados algum tipo de contaminação. "Se os micro-organismos invadirem a região mais interna do ouvido, podem atingir os nervos auditivos, e isso pode afetar o sistema nervoso central e pode ocasionar, em alguns casos, a meningite. Tem que tomar cuidado, principalmente as crianças, que o sistema imunológico ainda está em formação, e idosos também. As pessoas que já tenham uma predisposição", disse a doutora em ciências de alimentos, bióloga, professora e coordenadora do estudo, Rosana Siqueira, que explicou ainda que o risco de contaminação aumenta quando o fone é compartilhado.

Comentários da Notícia: