quarta-feira, 23 de agosto de 2017




A Justiça Federal em Brasília aceitou na última terça-feira (22) a denúncia da Procuradoria da República no Distrito Federal e transformou em réu o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) por obstrução de justiça. Na semana passada, o peemedebista foi denunciado por tentativa de atrapalhar as investigações sobre desvios no FI-FGTS, o fundo de investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. A denúncia foi aceita pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal na capital.

Na decisão, o magistrado justifica que a denúncia ofertada pelo MP contra o ex-ministro atende os requisitos do Código de Processo Penal, pois "descreve de modo claro e objetivo fatos delituosos imputados a Geddel". "Está demonstrada, até agora, a plausibilidade das alegações contidas na exordial acusatória, em face da circunstanciada exposição dos fatos tidos por criminosos e das descrições das condutas em correspondência com os documentos constantes dos autos", escreveu Oliveira.

A defesa de Geddel, por meio do advogado Gamil Foppel, divulgou nota na qual criticou a acusação do Ministério Público, classificando-a de "inepta", "imprestável" e uma "coleção invulgar de erros jurídicos". "A inepta e imprestável denúncia formulada contra o senhor Geddel Vieira Lima, coleção invulgar de erros jurídicos, de gritante fragilidade, desafia o direito e o próprio bom senso, além de representar evidente contrariedade à decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região", afirma. (Metro1)

Comentários da Notícia: