quarta-feira, 6 de setembro de 2017



Cinco homens foram presos em Ilhéus, cidade ao sul da Bahia, pelo sequestro e desaparecimento do cigano Iranildo Gama Queiroz. Eles foram capturados em agosto, mas a polícia só divulgou as informações na terça-feira (5). Outros três homens que também estão envolvidos no crime já foram identificados e são procurados pela polícia.

A quadrilha exigiu R$ 5 milhões como pagamento para libertar a vítima. Segundo a polícia, a família chegou a depositar R$ 500 mil, mas Iranildo não foi liberado. Com parte do depósito, os sequestradores suspenderam os contatos. Com base em depoimento de testemunhas ouvidas durante a investigação, ele foi executado pela quadrilha.

O primeiro suspeito preso, Elquizedek Mascarenhas Gomes, estava foragido do sistema prisional por assaltar bancos. Ele foi capturado no dia 24 de agosto com documentos falsos. Inicialmente, ele negou a participação no crime, mas em depoimento ele confessou à polícia disse que a vítima foi executada logo depois do pagamento de parte do resgate.

Com o suspeito, a polícia encontrou o recibo de um imóvel em Ilhéus, que teria sido alugado pelo grupo. No imóvel a polícia encontrou objetos pessoais, documentos, munições de fuzil e uma camisa da Polícia Civil, semelhante à usada pelos criminosos. Outro preso foi Anderson Santos Weber.

Apontados pela polícia como os mentores do sequestro, os irmãos ciganos Pascoel e Luciano Ribeiro Dantas, foram presos em Vitória da Conquista também no dia 24.

Dois mandados de busca e apreensão também foram cumpridos em imóveis deles, onde a policia apreendeu três pistolas, três revólveres, munições, além de celulares, documentos relacionados à investigação.

O dinheiro que seria parte do resgate pago pela família da vítima foi localizado pela polícia em uma conta corrente com agência no estado do Mato Grosso. Os valores foram bloqueados pela Justiça e uma mulher, Girlene Souza Nascimento, foi presa em Cuiabá, ao tentar sacar R$ 155 mil.

Fonte: G1.

Comentários da Notícia: