quarta-feira, 11 de outubro de 2017




O advogado Eduardo Carnelós, que defende o presidente Michel Temer (PMDB) na denúncia que tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, afirmou que as acusações da Procuradoria-Geral da República (PGR) foram feitas com base em depoimentos de"confessos criminosos" e não possuem "nenhum elemento de prova".

Na defesa do peemedebista, Carnelós pediu que os deputados da comissão não autorizem o prosseguimento da denúncia argumentando que a acusação foi formulada com métodos "escusos e inaceitáveis" por respeito "às instituições e à democracia". "Tudo está baseado nas palavras de confessos criminosos que, para escapar de malfeitos admitidos, se dispuseram a atender à pretensão do ex-procurador-geral da República, que sempre foi acusar o presidente, para o afastar do poder", disse.

Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco foram denunciados pelos crimes de organização criminosa, e o peemedebista é acusado ainda de obstrução de Justiça. O relator do caso, deputado Bonifacio de Andrada (PSDB-MG), apresentou parecer contrário à denúncia. Em diversos momentos, Carnelós criticou os métodos e a "forma desrespeitosa" como atuou o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, autor da denúncia. (Metro1)

Comentários da Notícia: