segunda-feira, 9 de outubro de 2017


O atacante Jobson voltar a ser preso após descumprir medidas estabelecidas pela Justiça para a liberdade condicional. O jogador está detido na cidade de Colméia, a 206 km de Palmas, no Tocantins. A confirmação da prisão foi feita pela Secretaria de Cidadania e Justiça. Jobson responde na Justiça pela acusação de estupro de vulneráveis. Ele havia deixado a prisão no dia 28 de agosto e retornou em 29 de setembro. A informação de sua prisão, contudo, só foi divulgada nesta segunda-feira (9). Essa é a segunda vez em que Jobson é preso por descumprir medidas judiciais. No início de junho, ele foi detido por se ausentar da Comarca de Colmeia sem autorização do juiz e se ausentar de sua residência no período noturno. Na ocasião, Jobson se envolveu em um acidente de trânsito. O incidente serviu para comprovar que ele estava fora da Comarca, porque aconteceu em Marianópolis. Além disso, ele era suspeito de ingerir bebida alcoólica, outra norma da medida cautelar. O caso inicialmente foi investigado pela Polícia Civil do Pará, mas foi transferido para a Justiça de Tocantins. A festa onde supostamente teria ocorrido o abuso de vulnerável aconteceu em uma chácara na cidade de Couto Magalhães, no oeste de Tocantins. Na época, duas jovens disseram à polícia que estavam sob efeito de bebidas alcoólicas e substâncias entorpecentes colocadas na bebida. Ainda que não estivessem inconscientes, manter relações sexuais com menores de 14 anos é considerado crime de "estupro presumido" no Brasil. Pela lei penal brasileira, uma pessoa menor de 14 anos não possui o discernimento necessário para decidir manter uma relação sexual. Assim, ainda que ela faça sexo consensual com alguém maior de idade, tal ato é considerado estupro. Suspenso do futebol profissional por doping até março de 2018, Jobson vinha atuando no futebol amador. Em junho, o atacante foi suspenso de torneio em Conceição do Araguaia (PA) por agredir árbitro e adversário. A punição no torneio amador é válida por 180 dias. Com informações da Folhapress.

Comentários da Notícia: