terça-feira, 10 de outubro de 2017




Cerca de 90 líderes de classe de 33 escolas, em 16 municípios, pertencentes ao Núcleo Territorial de Educação de Amargosa (NTE 09), estão reunidos na Fazenda Colibri, localizado na cidade sede do núcleo, a 135 Km de Salvador, na região Centro Sul, para o III Encontro Territorial de Líderes de Classe. Promovido pela Secretaria da Educação do Estado, a atividade tem como objetivo ampliar as discussões sobre formas de liderança, trocas de experiências entre os estudantes e construção de projetos e ações para uma cultura de participação e atuação nas unidades escolares.

Com o tema “Juventudes que transformam: resistência e ancestralidade”, a ação propõe discutir, por meio de palestras, oficinas e dinâmicas de grupo, a importância de ser líder de classe e qual é a escola que querem para o futuro.“Podemos chamar esse encontro de um intercâmbio cultural. A programação está bem diversificada, com temas atuais e necessários para o desenvolvimento deles como líderes comprometidos e atuantes, contribuindo para uma gestão democrática em suas escolas. Todos estão muito interessados e à vontade”, relata o coordenador da Educação Básica do NTE 09, Ivan Couto.

A líder de classe, Camila Pereira, 16 anos, 1º ano, do Colégio Estadual João Pessoa, em Itaquara, a 100 Km de Salvador, no Sudoeste do Estado, conta que o encontro está proporcionando conhecimentos e uma troca de experiências muito boa para todos. “Estou gostando muito dessa troca de ideias, experiências e das palestras. Principalmente a roda de conversa sobre racismo e sexualidade. São temas pouco esclarecidos e ainda tidos como tabu. Estou aproveitando para tirar dúvidas para passar para meus colegas, porque esse também é o papel do líder”, declara a estudante.

Já Alan Delon Cardoso, 18, 3º ano, do Colégio Estadual Antônio Carlos Magalhães, na cidade de Santa Inês, a 300 Km de Salvador, na região Centro Sul, revela que gosta de ser líder de classe e está aproveitando o máximo do encontro para levar novos conhecimentos para a sua escola. “O encontro está bastante produtivo. Gosto do debate, de expor meu pensamento, da troca de experiência, saber a posição de outros líderes de classe e o que eles estão buscando para o desenvolvimento das suas escolas, para levar o melhor para a minha unidade”, pontua. (Ascom)

Comentários da Notícia: