quarta-feira, 18 de outubro de 2017




Dos 44 senadores que votaram em benefício do senador Aécio Neves (PSDB-MG) na última terça-feira (17), para que ele retorne ao cargo no Senado, 28 (63%) são alvo de inquérito ou ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF) e 19 são investigados na Operação Lava-jato. De acordo com o jornal O Globo, que levantou os dados, nenhuma outra legislatura teve tantos senadores formalmente colocados sob suspeita de crimes.

O tucano é acusado de ter recebido propina no valor de R$ 2 milhões do empresário Joesley Batista, delator da JBS. O PMDB, partido do presidente Michel Temer, votou em peso pelo retorno do senado, com 17 dos 19 parlamentares presentes se colocando a favor de Aécio. Temer, que também é denunciado ao STF, recolheu pessoalmente votos para o tucano.

Dos 26 que votaram contra a restituição do cargo de Aécio, oito respondem a processos no STF, o que representa cerca de 30% do total. (Metro1)

Comentários da Notícia: