terça-feira, 10 de outubro de 2017






A Polícia Federal (PF), ao pedir o bloqueio de bens da família de Joesley Batista, salientou em relatório a ‘necessidade de extrema cautela’ diante da chance de a J&F não honrar o acordo de leniência com o Ministério Público Federal, fazendo com que ‘o Estado brasileiro venha a sofrer um calote ainda maior’, ao deixar de ser ressarcido pelos prejuízos causados pelos esquemas de corrupção envolvendo a empresa.

O relatório da PF foi a base do pedido do Ministério Público Federal que foi acolhido pelo juiz federal de Brasília, Ricardo Soares Leite, que determinou a ampliação do bloqueio de bens à família Batista. A Justiça já havia bloqueado R$ 60 milhões da família, mas a Polícia Federal e o MPF chegaram à conclusão de que era necessário ampliar a restrição, uma vez que o prejuízo estimado por operações irregulares da JBS com o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é de ao menos R$ 1,2 bilhão.

‘Se o Acordo, em valores absolutos, pareceu de grande monta, registra-se que aparentemente foram valores mínimos de ressarcimento aos prejuízos nas operações de apoio feitas com recursos públicos às empresas do Grupo’, afirmam os delegados Flávio Rodrigues Calil Daher e Rubya Danyla Gama Pinheiro no documento. (Metro1)

Comentários da Notícia: