quinta-feira, 26 de outubro de 2017

O prefeito de Santa Terezinha, Zé de Zila (PP), já considera a possibilidade de tomar “medidas drásticas”, caso não chegue o socorro necessário para equilibrar as contas da gestão municipal. A expectativa é que o aporte do governo federal chegue até dezembro. “Com último sequestro de recurso que tivemos do INSS, estamos priorizando o que pagar. Eu hoje estou pagando em dia funcionário e atrasando fornecedores, esperando que venha socorro até o final do ano, pra gente equilibrar”, explicou, em entrevista ao Bahia Notícias, durante ato na União dos Municípios da Bahia (UPB) nesta quinta-feira (26). De acordo com o prefeito, uma das maiores dificuldades enfrentadas hoje é na área de saúde, por falta de repasses adequados aos custos. “A gente imagina que se recebe na faixa de R$ 10 mil por unidade de saúde e você gasta quase R$ 40 mil. Na minha particularidade, temos hospital municipal onde temos investimento mensal de quase R$ 200 mil e recebemos apenas R$ 21 mil”, explicou. Conforme explicou Zé de Zila, tem sido necessário cortar de outras áreas para investir. A cota de saúde no orçamento municipal já chega a 28%. (Bahia Notícias)

Comentários da Notícia: