terça-feira, 17 de outubro de 2017




Em dois anos, as universidades e organizações de pesquisa científica do Brasil deixaram de receber mais de R$ 12 bilhões de verba. Isso significa uma perda de R$ 500 mil por hora. Para expor a crise orçamentária, a Universidade Federal da Bahia (Ufba) inaugurou nesta segunda-feira (16) o “tesourômetro”, um painel eletrônico que mede, em tempo real, os cortes dos orçamentos das instituições de ensino superior públicas e na ciência. A estreia do contador ocorreu durante a abertura do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão da universidade, que vai até esta quarta.

O equipamento estima as perdas a partir das previsões de cortes no orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), previstos para as universidades federais e para a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Na Bahia, a instalação do tesourômetro é fruto de uma parceria da Ufba com a Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência (SBPC) e faz parte da campanha Conhecimento Sem Cortes, realizada por cientistas, estudantes, professores, pesquisadores e técnicos. O contador está funcionando na frente da Reitoria da instituição, no bairro do Canela, em Salvador. (Correio)

Comentários da Notícia: