• Amargosa: Técnico da CERB fala sobre situação da água do Distrito de Corta-Mão

    Repórter: AmargosaNews.com
    Publicado: quinta-feira, 16 de novembro de 2017
    A- A+
    Sistema de Abastecimento de água do Distrito de Corta-Mão
    Durante as últimas semanas, o tema relacionado à qualidade da água fornecida para os moradores do distrito de Corta-Mão foi motivo de inúmeros debates na cidade de Amargosa. Alguns vídeos publicados através das redes sociais mostram a água saindo das torneiras com uma coloração escura e um aspecto de sujeira.

    Entramos em contato com Barnabé Carneiro Batista, técnico da CERB que esteve no Distrito de Corta Mão nesta quarta-feira (15) para uma avaliação de rotina. Segundo Barnabé, o tratamento da água ocorre de forma adequada e água sai do sistema em perfeitas condições de uso, o problema é que algumas residências estão com ligação dupla, tanto na rede nova, quanto na rede antiga, que esta desativada. Com isso, a água sai da central limpa e tratada, mas ao passar pela encanação velha carrega toda a sujeira acumulada. "A rede velha esta em carga, quando na verdade deveria estar totalmente desativada. O que acontece é que algumas casas fizeram a ligação nesta rede antiga, ou seja, a água sai tratada do sistema, mas, infelizmente, ao passar por esta tubulação antiga a água se mistura e carrega toda a sujeira". Ele ressaltou também que um levantamento será realizado para que se possa averiguar quais residências estão ligadas a rede velha, afim de conseqüentemente, ser feito os reparos e o isolamento definitivo.

    Tubulação antiga que está prejudicando a qualidade da água em Corta-Mão
    Conversamos também com o vereador Miguel Silva. Ele nos contou que há algum tempo vem alertando os moradores sobre este problema da encanação feita na rede antiga, e que esta situação estava comprometendo a qualidade da água. O vereador falou também sobre uma reportagem em que ele foi acusado de ter dito que a população de Corta-Mão estaria colocando pó de café na água, para reforçar o aspecto de sujeira. Miguel nos contou que houve uma deturpação da sua fala durante a sessão realizada na quinta-feira (09). "Em momento algum eu disse que os moradores de Corta-Mão estariam mentido sobre as condições da água. Eu apenas me referi, única e exclusivamente, a uma determinada situação onde um morador com o intuito de criar um fato negativo, colocou pó de café na água e divulgou as imagens. As pessoas de Corta-Mão me conhecem e sabem que eu jamais os chamaria de mentirosos. Infelizmente temos pessoas que querem a todo instante deturpar os fatos e gerar situações como esta por motivações políticas. Embora alguns tentem manchar a minha imagem, eu vou seguir em frente, acompanhando de perto a qualidade da água de Corta-Mão cobrando a partir de agora junto órgãos competentes que seja feita a análise de toda a tubulação e que a rede antiga seja isolada, conforme avaliou o engenheiro da CERB", disse o vereador Miguel Silva. 

    Fomos até Corta-Mão para conversar com moradores. Os relatos são que a água, na maioria das vezes, chega até as casas com a coloração transparente como afirmou Jildo Bispo, mais conhecido como Zil. "A água costuma vir boa. Nos últimos dias que ela veio um pouco encardida". O morador Rael Bispo dos Santos, também falou sobre a água, e nos contou que nesta quinta-feira (16), a água chegou bastante transparente. Á água hoje chegou alvinha nas torneiras da sua casa.

    Barragem de onde a água é retirada para ser tratada e fornecida a população
    Também visitamos a barragem de onde a água é retirada para o tratamento no sistema, antes de ser distribuída para os moradores. É possível notar uma coloração marrom, com aspecto de lama. Comparando o tom da água na barragem e após o tratamento, é possível constatar uma grande melhora no seu aspecto, o que reitera o parecer técnico sobre o pleno funcionamento do sistema. 




    Vale lembrar que o sistema de abastecimento de água de Corta-Mão foi inaugurado em junho do ano passado. Os trabalhos foram fruto de um investimento feito pelo governo do Estado, através da Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (CERB), no valor de R$ 550.000,00. (Da Redação)
  • Comentários