Após 34 anos na Globo, Carla Vilhena pede demissão




A jornalista Carla Vilhena usou as suas redes sociais para comunicar que pediu demissão da TV Globo, onde atuava há 34 anos. Ela vai atuar, a partir de agora, como blogueira.

"Há um ano e meio experimentei algo que me trouxe uma enorme satisfação: a criação de um blog, que virou um site pessoal, onde pude expor um pouco mais de quem sou e do que desejo ser. Tive que, para isso, criar redes sociais para dar suporte e divulgação ao site. Conheci um mundo completamente novo. Me surpreendi, aprendi muito – e gostei", publicou.

Antes integrante do time principal de âncoras da emissora, atualmente ela desempenhava a função de repórter especial do Fantástico e assumia a bancada do Jornal Nacional nos plantões de feriados e fins de semana.

Em 2017, o jornalismo da Vênus Platinada teve cinco baixas importantes: Evaristo Costa, Luís Ernesto Lacombe, Flávia Freire e Mara Luquet, todos por vontade própria, e William Waack, desligado após o vazamento de declarações consideradas racistas. Metro1.

Confira a carta de Carla Vilhena na íntegra:

"Há um ano e meio experimentei algo que me trouxe uma enorme satisfação: a criação de um blog, que virou um site pessoal, onde pude expor um pouco mais de quem sou e do que desejo ser. Tive que, para isso, criar redes sociais para dar suporte e divulgação ao site. Conheci um mundo completamente novo. Me surpreendi, aprendi muito – e gostei.

Por isso este e-mail, que não é uma despedida, já que continuarei pertinho de vocês, nesse mundo tornado ervilha pela internet.

Meu projeto pessoal precisa ampliar fronteiras e, enquanto for vinculada ao jornalismo, estarei impossibilitada de fazer isso.

Aproveito para compartilhar com vocês o amor que sempre me ligou à Globo, emissora onde entrei há 34 anos e que me ensinou a fazer televisão.

Vou aproveitar algumas férias acumuladas para descansar e dar esses primeiros passos na nova estrada, até o fim do contrato, dia 30 de abril.

Agradeço de coração a todos os que tornaram possível a transformação da vida daquela menina que, em 1984, entrou por uma porta no Jardim Botânico para fazer edição de imagens nas Olimpíadas de Los Angeles.

Agradeço à vida, que me deu tanto.

E agradeço a Deus, que me sustenta e ampara aonde eu for.

Com carinho,

Carla Vilhena"