Defesa de Lula diz que vai recorrer e compara Lula a Mandela




A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que vai recorrer da decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de manter a condenação do petista. Por unanimidade, eles ampliaram a pena imposta pelo juiz federal Sergio Moro, que era de nove anos e seis meses para 12 anos e um mês de prisão.

"[Vamos recorrer] porque nós lutamos muito para resgatar da ditadura militar a democracia que nós temos", disse José Roberto Batochio, um dos advogados de Lula. "Condenação sem provas é condenação autoritária. Esse julgamento será julgado pela história", completou.

A defesa afirma que cabe embargos de declaração para corrigir pontos da sentença. Em seguida, eles pretendem recorrer contra o acórdão da 8ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Desembargadores da 8ª Turma determinaram que Lula deve ser preso após avaliação de recurso. Os advogados de Lula pedem que isso só aconteça apenas após o julgamento do processo em instâncias superiores.

Batochio disse que não acredita na prisão do ex-presidente, já que ele "não oferece nenhuma periculosidade". Para ele, a prisão é "uma hipótese exagerada e desnecessária".

Batochio também comparou a situação de Lula a trajetória de Nelson Mandela, ex-presidente ds África do Sul que ficou preso por mais de duas décadas por questões políticas.

A advogada Valeska Teixeira Martins, que também defende o petista, criticou a decisão do TRF-4 e disse que a condenação faz como que não se possa pensar em "democracia plena" no Brasil.

A defesa também argumenta que a decisão desta quarta não "impede que o ex-presidente faça sua inscrição na Justiça Eleitoral". (ATarde)