"Músicas de pagode e axé têm um objetivo, que é o nada", dispara Edson Gomes

O cantor de reggae Edson Gomes, natural de Cachoeira, no Recôncavo baiano, continua com a língua afiada. De volta à Concha Acústica, o artista afirma que a cena atual do reggae "é muito confusa". "Cada um atira para um lado, não existe uma unidade, um objetivo", diz o cantor em entrevista ao jornal A Tarde.

A acidez do seu discurso também chega a outros ritmos baianos: "As músicas de pagode e axé têm um objetivo, que o nada. Nós não temos um objetivo: o que queremos mudar, alcançar? Não existe, cada um atira para um lado, então basicamente é um ritmo".

Edson Gomes também falou sobre o uso da sua música em protestos e greves trabalhistas. "Eu me sinto homenageado, é claro. Prestigiado, até. Mas também explorado, né? Porque eles usam minhas músicas nos protestos e greves, mas nas festividades deles, não me contratam", alfinetou
Marcadores:
[facebook][blogger]

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.