Bancos entregam dados em quebra de sigilo de Aécio




Os dados bancários do senador Aécio Neves, de janeiro de 2014 a maio de 2017, foram entregues pelos bancos ao Supremo Tribunal Federal. De acordo com o Estadão, além do tucano, tiveram os dados expostos Andrea, sua irmã, Frederico Pacheco, primo do político, e o também senador Zezé Perrella (MDB).

Até agora, segundo consta nos autos do inquérito, o Banco do Brasil, o Santander, o BNP Paribas, o Banco do Nordeste, e a Caixa Econômica Federal se manifestaram nos autos após determinação de quebra de sigilo.

O ministro registrou ontem que os dados solicitados foram entregues pelo Santander e pelo BB. Ele pediu a juntada das petições das instituições financeiras aos autos da ação cautelar e ainda encaminhou o material para vista da Procuradoria-Geral da República.

A quebra de sigilo, requerida pela procuradora-geral Raquel Dodge se estende a outros investigados na Operação Patmos – suposta propina de R$ 2 milhões da JBS para o senador. São alvos da cautelar a irmã Andrea Neves e o primo do tucano, Frederico Pacheco, o ex-assessor de Perrella, Mendherson Souza, e as empresas Tapera e ENM Auditoria e Consultoria. (Metro1)