Decretada prisão de condenado no caso Richthofen



A Justiça decretou a prisão preventiva de Cristian Cravinhos, condenado a 38 anos de prisão por participação na morte dos pais de Suzane von Richthofen, em 2002. Ele foi preso na madrugada desta quarta-feira (18), suspeito de agredir uma mulher e tentar subornar policiais militares em Sorocaba (SP).

A decisão de converter a prisão em flagrante em prisão preventiva foi dada por um juiz durante audiência de custódia realizada na manhã desta quarta, no fórum da cidade. Após a decisão, ele foi levado ao Centro de Detenção Provisória de Sorocaba, onde deve ficar até o julgamento.

Cristian estava solto desde agosto de 2017 e cumpria pena em regime aberto pela morte do casal von Richthofen. Agora, cabe à Vara de Execuções Criminais decidir se, com essa prisão, ele deverá voltar a cumprir o restante da pena em regime fechado.

O advogado dele, Bethoven Oliveira, afirma que, se isso acontecer, a defesa entrará com um novo pedido para converter a pena em regime aberto.

Na decisão que decretou a prisão preventiva de Cristian, o juiz levou em conta que ele violou algumas restrições impostas pelo regime aberto: estava fora do município em que reside (São Paulo) e estava na rua além do horário limite permitido.

Agressão

Cristian foi preso após agredir uma mulher, apontada como sua ex, na porta de um bar em Sorocaba.

Segundo os policiais que atenderam a ocorrência, ao ser abordado, Cristian se apresentou como "um dos irmãos Cravinhos”. Ele teria oferecido R$ 1 mil para não ser preso e disse que o irmão, Daniel, viria da capital com mais R$ 2 mil para dar aos policiais.

Ele foi flagrado com dinheiro e uma munição de 9mm, que é de uso restrito. Apesar de testemunhas afirmarem que ele estava com um revólver, os policiais não localizaram a arma.

Uma pessoa que estava no bar e pediu para não ser identificada conta que viu as agressões. (Informações do G1)