Dólar decola e já é vendido a R$ 4 nas casas de câmbio




Com influências internacionais e de dentro do Brasil, o movimento do dólar tem sido marcado pela volatilidade, sobretudo desde o início de maio. Ontem, a moeda americana voltou a subir e renovou sua máxima no ano. No dia, o dólar oscilou entre a mínima de R$ 3,6432 (+0,45%) e a máxima de R$ 3,6938 (+1,85%) - e acabou fechando quase no meio do caminho, com valorização de +0,99%, cotado a R$ 3,6627. Nesse valor, continua na maior cotação desde 7 de abril de 2016.

O giro no segmento à vista foi forte, de US$ 1,3 bilhão. Perto das 17h15, o dólar para junho subia 1,07%, a R$ 3,6753, com cerca de US$ 25 bilhões negociados - giro também mais forte que dos últimos dias.

“A verdade é que quem tentar entender o comportamento do câmbio por aqui minuto a minuto vai ficar maluco”, resumiu um operador.

Nas casas de câmbio, o dólar já é negociado na casa dos R$ 4. Essa é a cotação para a compra da moeda pelo consumidor final em cartão pré-pago, já inclusos os 6,38% do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF). Em espécie, o dólar é vendido entre R$ 3,83 e R$ 3,91, já considerando os 1,10% de imposto. (Correio)

Comentários