Veja concursos esperados para o segundo semestre e como se preparar



O jovem Raphael Lopes, de 24 anos, se prepara há dois anos para tentar uma carreira em qualquer tribunal, mesmo sem previsão para abertura de vagas novamente. Ele está certo, de acordo com o professor André Luiz Castro, do Curso Progressão Autêntico. Castro reforça que o esforço para passar em um concurso público precisa ser de médio e longo prazo. E nós reunimos orientações de como adiantar os estudos, mesmo sem os documentos.


— A área de tribunais é muito concorrida. Então, tem que começar a estudar muito tempo antes — diz Raphael.

O professor André Luiz recomenda aos dedicados:

— A melhor preparação é conhecer seu adversário, a banca, se já tiver sido definida, ou estudar em cima das questões anteriores dos concursos passados. Dessa maneira, será possível conhecer o perfil de aplicação e se preparar psicologicamente para os enunciados. A regra é estudar, revisar, exercitar e revisar os erros — analisa.

O CEO do Elo Concursos, Rodrigo Schluchting, reforça que se basear em um edital anterior do concurso costuma garantir 90% de aproveitamento dos estudos, já que pouca coisa muda. A antecipação ganha mais importância em um semestre em que os concursos estão reduzidos e a concorrência deve subir.

— Pode ter concurso em época de eleição, mas não pode ter nomeação três meses antes ou três meses depois dela. Geralmente, porém, a alta cúpula do governo fica focado no processo eleitoral e a máquina pública, não só os concursos, ficam paralisados. Então deve dar uma diminuída — prevê Rodrigo.

Processos militares

Em um cenário de incertezas, conhecer as etapas de organização de um processo seletivo público vira um diferencial, já que o candidato sabe o que esperar e os prazos prováveis ao ler que foi feito um pedido de concurso ao Ministério do Planejamento, por exemplo, ou que o edital tem data para sair.

Os concursos militares, por outro lado, não são afetados pelo período eleitoral e são os mais fáceis de prever, pois ocorrem anualmente, em um calendário tradicional. A regularidade deve ser aproveitada pelo candidato, que precisa se desdobrar na preparação para exames intelectuais e físicos.

Entenda a organização de seleções

Carência - A primeira etapa para a realização ocorre quando o órgão detecta carência de vagas — devido a aposentadorias, transferências ou déficit de funcionários por conta da demanda de serviços.

Solicitação - A partir desse número de vagas que precisam ser preenchidas para o funcionamento do órgão, ele solicita a abertura de concurso à pasta responsável pelo orçamento da União, do Estado ou da prefeitura.

Autorização - Se receber autorização, é hora de escolher a banca que desenvolverá o edital da seleção.

Publicação - A partir daí, os prazos são de três meses para a publicação do documento que traz as regras do concurso.

Prova - As provas costumam acontecer dentro de três meses após o edital sair.

Preparação ao mesmo tempo

Enquanto aguarda a publicação do edital dos seus sonhos, o concurseiro pode escolher continuar aberto a outras chances. Mas quando é possível estudar para mais de uma seleção ao mesmo tempo? Especialistas apontam que isso depende tanto da rotina do candidato quanto do conteúdo cobrado nas provas anteriores das seleções. A dica é adotar a sinceridade consigo mesmo para não pagar taxas de inscrição à toa, nem desfocar no processo.

— É possível sim, porém é difícil. Se for um concurso da mesma área (por exemplo, concursos para tribunais regionais eleitorais de diversos estados), vai mudar uma matéria ou um conteúdo. Se forem concursos diferentes, é mais complicado. A pessoa deve levar em consideração se ela só estuda ou se também trabalha, se tem filhos já, pois isso dificulta... no primeiro caso, no entanto, ela tem sim chance de estudar para mais um concurso— afirma Rodrigo: — Por exemplo, ela pode estudar para o Tribunal Regional Eleitoral e querer fazer também para o Tribunal Regional do Trabalho, que são concursos em que vai mudar basicamente a matéria específica. As outras serão comuns aos dois concursos. O que é sempre difícil é estudar para o Tribunal Regional Eleitoral e Receita Federal ao mesmo tempo, pois são matérias muito diferentes e muito puxadas. Alguns concursos pedem dedicação exclusiva.
Marcadores: ,

Postar um comentário

[facebook][blogger]

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.