Janaína Paschoal sobre ser vice: ‘Se for para dizer amém eu não vou’




A advogada Janaína Paschoal afirmou que só aceita a vaga de vice se não ocupar papel decorativo. Em entrevista ao Estadão, ela disse que aceita a proposta se for para "representar as pessoas que vão confiar em mim".

"Se ele quer uma pessoa para trabalhar, tudo bem. Mas se for para dizer amém eu não vou”, avisou.

Sobre ter irritado interlocutores do candidato ao falar, em discurso na convenção, que não admite o pensamento único, ela afirma que o PT já fez isso e não deu certo. “Lula é quem diz ‘nós contra eles’. Isso não aceito".

Janaina Paschoal rompeu com o jurista Miguel Reale, seu amigo de anos, depois que ele passou a pressioná-la a desistir do pedido de impeachment de Dilma Rousseff.

Os dois foram autores da peça que levou à cassação do mandato da petista, mas Reale avaliou que o pedido da OAB deveria prevalecer ao deles. O caso é contado na campanha de Bolsonaro para demonstrar que Janaína perde até amigos para defender as próprias convicções. (Metro1)
Marcadores:

Postar um comentário

[facebook][blogger]

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.