Ciro diz ser 'pavio curto', mas ressalta que Brasil não precisa de presidente 'frouxo' e 'enrolão'



O presidenciável Ciro Gomes (PDT) admitiu, em entrevista à Rádio Metrópole hoje (17), que a fama de “pavio curto” que ganhou nos 38 anos de vida pública é verdadeira.

“Aos 60 anos de idade, eu não vou mudar. Não sou dono da verdade, todo dia eu aprendo. Mas não acho que o Brasil precise de um presidente enrolão, frouxo”, justificou.

O pedetista afirmou que o Brasil passa por uma crise séria e vive em “estado de baderna”, no qual “ninguém respeita a lei”.

“O crime é comandado de dentro das cadeias, determinado por conquista de territórios assassinatos. Mas eu sou enérgico, cultivo a ordem e autoridade dentro da democracia”, ressaltou.

Comentários