Denúncias de violência contra a mulher chegam a 73 mil em 2018




A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, o Ligue 180, registrou quase 73 mil denúncias no primeiro semestre deste ano, segundo o Ministério dos Direitos Humanos. O resultado é maior do que o registrado em 2006 (12 mil), primeiro ano de funcionamento do serviço.

As principais denúncias são referentes a cárcere privado, violência física, psicológica, obstétrica, sexual, moral, patrimonial, tráfico de pessoas, homicídio e assédio no esporte. As queixas também podem ser registradas pessoalmente nas delegacias especializadas em crimes contra a mulher.

Desde a sanção da lei, o Código Penal passou a prever tais tipos de agressão como crimes, que geralmente antecedem ataques fatais, além de estabelecer que os agressores sejam presos em flagrante ou tenham prisão preventiva decretada caso representem risco à integridade física da mulher.

A norma também permitiu que a Justiça aplique medidas de proteção para mulheres ameaçadas e que correm risco de morte. Entre as ações protetivas está o afastamento do agressor da residência da vítima ou a proibição de se aproximar da mulher agredida e dos filhos. (Metro1)

Comentários