Haddad admite que manter candidatura de Lula é ‘estratégia arriscada’




Coordenador da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Haddad admitiu, em entrevista à Rádio Metrópole, que a estratégia do PT de manter a candidatura do ex-presidente ao Palácio do Planalto é “arriscada”.

Condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro, especialistas apontam que, com base na Lei da Ficha, a tendência é de que Lula tenha a postulação barrada.

“É verdade quando os jornalistas dizem que o PT está utilizando uma estratégia arriscada. [Mas] se o PT inteiro está convencido de que Lula é inocente, como é que vamos abrir mão do Lula? Ele está conosco há 50 anos. Com 30 anos era presidente do sindicato. O homem tem 72. Nunca ele foi atacado na honra, como tem sido atacado nos últimos anos. Como é que se pode abrir mão de uma liderança da qualidade de Lula? […] Você vai abir mão do Lula em nome dessa perseguição que ele está sofrendo? Com todo o risco, que é real, não há a menor condição de a gente abrir mão da liderança de Lula”, afirmou.

Apesar do risco, o ex-prefeito de São Paulo acredita que o ex-presidente vai conseguir disputar a eleição.

“Tem um conflito que precisa ser resolvido porque a própria Lei [da Ficha Limpa], que Lula sancionou, prevê, em casos determinados, um recurso aos tribunais superiores, senão os candidatos ficariam vulneráveis. Então, imagine que uma ação caia na mão de um tribunal que comete uma injustiça. A própria Lei da Ficha Limpa oferece a possibilidade nesses casos de registrar a candidatura por pedido de liminar. Temos uma jurisprudência que garante ao Lula registrar o nome. Vamos utilizar tudo o que a lei permite para garantir”, pontuou.

Haddad ressaltou que o programa de governo de Lula, que foi elaborado pelo próprio coordenador da campanha, é “ousado” e será capaz de “tirar o país da crise”. (Metro1)

Comentários